Se não quiser se sentir um “haole” em Nazaré, vale a pena conhecer suas características e particularidades: o período das ondas gigantes, quando os surfistas de todo o mundo invadem a cidade, vai de outubro a março de cada ano, mas para acertar exatamente o dia em que as ondas vão chegar a 20 ou 30 metros, assistir ao espetáculo da natureza e acompanhar a façanha dos corajosos, tem que estar antenado com os blogs dos surfistas e com os sites especializados no assunto. Ops, talvez você nem saiba o que significa “haole”; eu também não sabia até chegar em Nazaré: significa “forasteiro” na linguagem dos surfistas!

Mesmo que você não seja um aficcionado por surf e não tenha a oportunidade de estar na cidade nos tais dias das ondas gigantes, ainda assim vale a visita! As praias são lindas e o visual do terraço ao lado da Ermida da Memória (capela de Nazaré do século XII) é incrível e, mais à frente, no Farol de Nazaré, no topo do forte de São Miguel d’Arcanjo o visual é mais incrível ainda!

Além disso, tem um centrinho simpático. Bem, toda cidade tem um centrinho simpático …. mas só  no centrinho de  Nazaré encontramos as mulheres das sete saias vendendo castanhas e doces. As sete saias representam as sete virtudes; os sete dias da semana; as sete cores do arco-íris; as sete ondas do mar, entre outras referências bíblicas, míticas e mágicas que envolvem o número sete. Essas mulheres fazem parte da cultura da cidade pois o traje feminino de Nazaré ainda é bastante usado no dia a dia nessa terra cheia de lendas, mitos e tradições ligados ao mar e à vida dos pescadores.

A cidade fica a uns 120 km de Lisboa, cerca de 1:30h de viagem de carro ou de ônibus, é um bate-volta imperdível pra quem vem visitar Portugal!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *